Ambientes

Ansiedade? Sua casa pode ser parte do problema e 10 mudanças simples podem ajudar

Morar em um lugar calmo, seguro e relaxante é decisivo para uma satisfação maior de vida

A palavra “ansiedade” tem sido usada a torto e a direito, mas sempre achei exagerado. Eu costumava pensar comigo mesmo: “Não ficamos todos nós nervosos de vez em quando? Qual o problema?” Então, este ano, eu passei por uma série de ataques de pânico que me fizeram cair do cavalo.

Foram episódios esporádicos sem nenhum gatilho óbvio. Dificuldade de respirar antes de dormir, medo súbito de entrar no trem para casa, claustrofobia que despertava quando eu entrava na sala do cinema. Era possível que fossem randômicos, os médicos e terapeutas me disseram, e além dos remédios usuais — menos cafeína, mais meditação e medicação se continuassem os episódios — não havia muito o que fazer.

Ou havia? Faminto por achar mais maneiras de me desestressar, comecei a observar minha casa e perceber elementos irritantes do ambiente: bagunça, barulho, junk food, contas atrasadas por desorganização. Descobri que um número crescente de arquitetos, designers, personal organizers e médicos comportamentais acreditam que os espaços em que vivemos estão intrinsecamente ligados ao nosso bem estar neurológico, como sono, dieta e exercícios.

Foto: Bigstock

As casas servem ao mesmo propósito desde o começo dos tempos”, explica a psicóloga Sally Augustin, que preside a clínica Design Com Ciência. “Nós sempre tivemos a necessidade por algum tipo de refúgio ou santuário“. E com essa epidemia de ansiedade, morar em um lugar calmo e seguro é especialmente importante.

E, apesar de ser difícil sentenciar o que vai funcionar para cada pessoa, já que cada um e suas respectivas famílias são diferentes, aqui estão 10 dicas de especialistas para tornar sua casa mais relaxante e tranquila.

1-Acerte na luz!
biblioteca-decór gringa-decoração-interiores
Foto: Martha O´Hara Interiors/Divulgação

Luz natural faz toda a diferença, e ajuda nossos corpos a produzir vitamina D, serotonina e melatonina. Mas cuidado com a dose, pois em exagero pode desencadear hipersensibilidade à luz. Persianas, cortinas e blackout são ótimas soluções. Segundo Dak Kopec, que escreveu vários livro sobre psicologia do design, luzes da rua e de objetos eletrônicos podem contribuir para insônia. Atente também para o seguinte: a maioria das lâmpadas de LED emitem luzes azuladas, então prefira as brancas e quentes.

2-Prefira cores leves e gentis
Foto: HAUS/ Gazeta do Povo

Pintar as paredes é uma das formas mais fáceis e menos caras de transformar os espaços. Então, se você quer fazer mudanças, comece por aqui. Pesquisas demonstram que nos sentimos mais calmos em cômodos com cores suaves e mais ‘confortáveis e aquecidos’ em espaços com cores mais quentes, independentemente da temperatura.

3-Escolha texturas com sabedoria
Foto: Bigstock

A sabedoria está no equilíbrio de cores, texturas e padrões. Lugares cleans e sem qualquer detalhe decorativo são tão ruins e entristecedores quando espaços diametralmente opostos, com muita informação e elementos de decoração. Como na natureza, prefira paletas e padrões conectados entre si. Na dúvida, limite-se a uma ou duas cores principais, e repita elas por todo o espaço.

4-Abrace as curvas
Fotos: Milão 2019/ Divulgação

Muitos psicólogos defendem que formas angulares, retas e afiadas são mais estimulantes que formas ovaladas e arredondadas. E ter muitas formas retilíneas em um mesmo espaço pode despertar o estresse. Formas orgânicas, com curvas, passam uma sensação maior de calma.

5-Lembre-se do som e do cheiro da sua casa
Na sala o leque de fragrâncias possíveis é maior. O ideal é descobri um cheiro que agrade toda a família. Foto: Divulgação

Ache cheiros dos quais você gosta e invista em alguns aromatizadores pela casa, que também podem ser incensos. E procure preservar o silêncio ou sons ambientes que te agradem. No YouTube mesmo existem diversas músicas com sons da natureza. Não perca tempo!

6-Tchau, bagunça
Foto: Bigstock

Diversos estudos relacionam o estresse, a ansiedade, a procrastinação e a insatisfação com a vida aos locais em que vivemos, como frisa a guru da arrumação mundial Marie Kondo. E essa insatisfação pode ser uma bola de neve: quanto maior a pilha, mais você irá procrastinar, e mais estressante tudo será, como ressalta a personal organizer Stacy Thomes.

“Ansiedade, no fim das contas, é sobre a perda de controle. Então eu digo para os meus clientes: você está dando o controle para as suas coisas; você precisa retomar o controle sobre o que te pertence”, conta Thomes.

7-Volte a ter tempo para a natureza
50 anos de pesquisa revelou, para pesquisadores britânicos, que o hábito de ter comedouros em espaços urbanos traz benefícios para a cidade. Foto: Bigstock

Os seres humanos têm uma conexão de corpo e mente com a natureza, segundo a arquiteta Carol Rickard-Brideau. E isso pode ter efeito curativo. Ela cita um estudo de 1989 que constatou que passar um tempo em contato com a natureza pode restaurar sua energia mental e física. Se tiver um espaço externo em casa, cuide ou refaça o deque; adapte a sacada ou balcão, e viva melhor.

8-Considere ter um bichinho de estimação
Reprodução: Pinterest

Animais de estimação podem causar muita dor de cabeça, como chegar em casa e encontrar xixi em cantinhos surpresa e objetos destruídos. Mas eles também nos fazem liberar ocitocina, conhecido como um neuroquímico do amor, e ajudar a reduzir os hormônios do estresse.

Na era da interação social virtual, Kopec explica que ter um pet ajuda a preencher o gap de contato, que diminui nossa pressão sanguínea e aumenta a empatia. Pode ser até um aquário, por exemplo, que também tem efeito calmante. diminuindo os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea.

9-Tenha amigas verdinhas
Diversas plantas dos gêneros Maranta e Calathea são consideradas rezadeiras, com cores e texturas únicas. Foto: Trama Paisagismo/Divulgação

As plantas têm efeito psicológico calmante, além de deixarem o ambiente mais bonito e o ar mais limpo. Por exigirem um certo nível de cuidado, também ajudam a desenvolver em nós um senso de controle. Comece por espécies fáceis de cuidar, como suculentas, plantas que rezam ou cactos, e os tipos com folhas largas e bem verdes.

10-Cadeira de balanço

Sabe porque todos nos sentimos tão bem em cadeiras de balanço? Segundo os especialistas, porque desde o útero o movimento que registramos para sempre é o movimento de ir e vir. Essas cadeiras foram feitas para nos relaxar! Invista em uma.

Via: HAUS

Leia também:
Castelo abriga vinícola em Bandeirantes; o local produz vinhos canônicos que são entregues na Diocese de Apucarana e em outros países 
Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close