Construção

Há realmente um vulcão adormecido sob a Catedral Nossa Senhora de Lourdes?

Foto: Jair Ferreira

Há realmente um vulcão adormecido sob a Catedral Nossa de Lourdes, no centro de Apucarana? A resposta a essa pergunta, que integra o imaginário apucaranense há décadas, é respondida em um trabalho realizado pela professora de Geografia Maria do Carmo Carvalho Faria, como tese de doutorado: o Atlas Municipal Escolar Histórico, Geográfico e Ambiental de Apucarana. O resultado do trabalho repercute até hoje.

A pesquisa acadêmica, de 151 páginas, é classificada pela autora como a análise mais completa e abrangente já realizada no município envolvendo história, geografia e meio-ambiente.  A professora detalha na pesquisa que, na realidade, o solo de Apucarana está inserido no período geológico de formação Jurássico-Cretáceo, entre 142 e 65 milhões de anos atrás.

 “Nesse período ocorreu intenso vulcanismo e derrame de lavas, originando basalto, que se espalhou por vasta área, por meio de fendas abertas na superfície terrestre. A decomposição do basalto deu origem aos solos férteis conhecidos como ‘terra roxa’”, explica Maria do Carmo no tópico “solos” do atlas.

O solo vulcânico, na realidade, está presente em todo o município e não apenas sob a Catedral Nossa Senhora de Lourdes no centro.

Terra Roxa
“É a nossa terra roxa”, diz. Segundo a professora, esse tipo de relevo pode ser encontrado numa faixa de terras que vai do Sul do Estado de São Paulo até a região Noroeste do Paraná. Apucarana fica no meio de uma placa tectônica e um vulcão para eventualmente entrar em atividade precisaria estar entre placas tectônicas. “Mesmo assim, a pergunta sobre o ‘vulcão da Catedral’ ainda é muito comum e sempre surge em sala de aula”, relembra a professora Maria do Carmo.

Cruz Machado
Um município do Paraná que realmente está sobre vulcão extinto é Cruz Machado, na região sul do Estado. Foram dois geólogos da Mineropar, Edir Edemir Arioli e Otavio Boni Licht, que descobriram um centro de erupção vulcânica exposto na Pedreira Pauluk, em Cruz Machado.

Centro eruptivo
Segundo Licht, mesmo sabendo que 60% do Estado do Paraná é formado por rochas vulcânicas do Grupo Serra Geral, ainda não havia  sido identificado um centro eruptivo. O centro de erupção vulcânica bem como todo o processo de erupção do Grupo Serra Geral são extintos e não representam risco, conforme o geólogo.

Idade
O centro de erupção tem aproximadamente 134,7 milhões de anos. Os geólogos identificaram esta idade aproximada baseados em um estudo feito pelos pesquisadores da Universidade de Queensland (Austrália), David Thiede e Paulo Vasconcelos.

Leia também em Revista Morar Bem:

Castelo abriga vinícola em Bandeirantes; o local produz vinhos canônicos que são entregues na Diocese de Apucarana e em outros países

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close